Sobre o final de How I Met Your Mother

Antes de tudo, quero deixar bem claro: Não, eu não gostei do final. Se você ainda não viu o series finale que foi ao ar nesta segunda-feira e não quer receber spoilers, pare de ler agora, assista e depois volte para comentar a sua opinião!

enhanced-30917-1396332921-9Como comentei no texto de ontem, How I Met Your Mother foi a evolução de Friends para uma geração que hoje está entre os 20 e muitos e os 30 e poucos. Com personagens bem construídos e relações frágeis entre si, estes personagens se tornaram identificáveis e, de muitas formas, parte das nossas vidas: Eu, por exemplo, tenho um amigo que me lista no celular dele como “Lilly” e, no que me diz respeito, ele sempre vai ser o meu “Ted”.

Diferente de seu antecessor, a série criou personagens falhos e relações mutáveis. A briga final entre Lilly e Marshall é um exemplo perfeito disso. Mesmo depois de tantos anos, ele ainda usa o momento de fraqueza dela para vencer uma discussão. Não somos todos assim? Mesquinhos e egoístas de vez em quando?

Foi com peso no coração que fui assistir ao último episódio. Se o casamento de Barney e Robin me emocionou tanto, certamente me preparei para chorar com a hora final. Ledo engano. Me sinto enganada depois de tantos anos acompanhando essa história e vou explicar a minha razão (ao qual vocês não precisam concordar).

Desde o primeiro diálogo da série, Ted deixa a entender que a Mãe foi a sua grande meta de vida e que, ao encontrá-la, ele não precisava de mais nada. Ele foi tecendo uma história que começa quase uma década anterior ao surgimento dela em sua vida apenas para justificar o seu desespero romântico, uma vez que foi esta histeria que trouxe a “Tia Robin” para a vida deles e ela era importante demais para que ele pulasse essa etapa.

Durante os últimos 9 anos, acompanhamos uma série de eventos que apenas justificam as razões pela qual a Mãe, Tracy, é a mulher perfeita para ele. Sem sequer aparecer na tela, Tracy se tornou um dos pontos cruciais da série, presente em tantos momentos das vidas de cada um deles. Mas o final que eu assisti desmancha tudo isso em questão de minutos.

Como a maioria dos fãs já tinha pressuposto, Tracy está morta em 2030, enquanto Ted narra a história para os filhos. No entanto, ao contrário do que as teorias diziam, manter a lembrança de Tracy viva não é a motivação de Ted. Sua motivação é simplesmente a mesma do primeiro episódio: Reforçar sua obsessão por Robin.

Desde o começo do episódio, que retorna à época em que Robin entra para o grupo, Lilly já deixa subentendido que Robin será a mulher de um deles e, enquanto nós entendemos isso como parte da história de Barney, o consequente divórcio dos dois apenas reforça a relação dela com Ted. Enquanto a temporada toda girou em torno do casamento deles, a história contada foi sempre a de Robin e Ted e os sacrifícios que ele faz para que ela possa ser feliz ao lado de Barney, o que apenas reforça o amor que ele sente por ela.

Enquanto sempre imaginamos que a série fosse uma declaração de amor à Tracy, na realidade fica subentendido ao final de tudo que Ted se acomodou com ela para que Robin pudesse ser feliz. Ele abre mão dela por causa de Barney e ela abre mão dele por causa de Tracy mas, ao final, nenhum deles realmente desistiu, estavam apenas esperando o momento em que estivessem sozinhos novamente.

A morte de Tracy é retratada de uma maneira tão superficial que é difícil imaginar que as crianças no sofá aceitassem isso sem uma reclamação: São 8 anos de história sobre seus amigos, 1 ano de história sobre a mãe e apenas 1 minutos para nos despedirmos da mulher que deu origem à toda a série. Desrespeitoso no mínimo.

As histórias paralelas me deixaram muito mais satisfeita. É claro que Barney se torna pai de uma menininha e se torna o mais superprotetor de todos os homens do mundo, sabendo muito bem do que são capazes os homens como ele. Mas a cena em que ele se declara para a neném é, de longe, a mais emocionante do episódio inteiro.

Marshall e Lilly são os mais consistentes entre todos os personagens, aumentando sua família feito dois coelhos no cio enquanto Marshall conquista seus sonhos profissionais após abrir mão deles para que Lilly buscasse sua felicidade na Itália.

Mas é a palavra “Piegas” que descreve o final de tudo. Resgatando o piloto da série, Ted rouba novamente o instrumento azul que conquistou seu coração da primeira vez, 25 anos antes. Isso significa que ele não aprendeu nada nesse meio tempo, né? Se eu fosse uma daquelas crianças no sofá, ainda perguntaria indignada: “Jura mesmo, pai? Essa enrolação toda usando a mamãe como argumento pra pegar outra mulher? Valeu mesmo!”

Assim como o final de LOST, não fiquei nada satisfeita. No entanto, isso não anula o quanto eu curti a jornada até chegarmos aqui. Cada um desses personagens teve sua importância na minha história também, independente de onde chegamos ao alcançar o final do caminho.

Anúncios

3 thoughts on “Sobre o final de How I Met Your Mother

  1. Boa analise.

    Quando li parte de um spoiler que saiu na pagina do uol, fiquei meio baqueado….tipo, “como assim a mãe pode estar morta?!” e foi quando fui rever o episódio 19 dessa temporada e percebi que era verdade.

    Me preparei psicologicamente para isso, para no final não ver nem o Ted a Penny e o Luke na mesma cena se abraçando nem nada do tipo, e o pior, não ter nem um dialogo emocionante entre eles falando sobre a mãe, não teve uma parte do velório dela, simplesmente “NADA”.

    Fora esse final meia boca, a série é excelente e esta na minha lista de compras para esse ano.

  2. Sem duvidas a melhor resenha que li sobre o final. Concordo com cada palavra! Fizeram a mother tão perfeita para o Ted e no fim das contas ele fica com a Robin?? Muita mancada. Fora que as cenas que mais me emocionaram ao longo da série foram as do Barney com a Robin…Simplesmente decepcionada :/

  3. A unica coisa que eu mudaria no seu comentario eh que eu nao acho que o Ted nao tenha amado a mae intensamente e nem mesmo que tenha ficado com ela por comodismo. Acho que ele aceitou que perdeu a Robin, viveu o romance que ele sempre sonhou com a Tracy, mas o fato de ela ter morrido, abriu novamente a ferida Robin, uma brecha para ficarem juntos jah que naquele momento, nada e nem ninguem os impedia de ficarem juntos novamente.
    Na parte que ele esta quase contando da robin, eh notavel isso. E essas historias nao sao tao incomuns assim…

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s