Review The Walking Dead 4×14 – “The Grove”

Em 42 minutos, eles conseguiram transformar um conto de fadas em um conto de horror de maneira magistral. Um dos episódios mais delicados e sinceros da série até hoje e uma resolução perfeita para o possível confronto entre Tyreese e Carol.

jixinndrn4kylw1jub4yDepois de algumas semanas sem aparecer, finalmente tivemos um episódio focado totalmente Em Carol, Tyreese, Lizzie, Mica e Judith. Seguindo os trilhos do trem em busca de Terminus, Carol demonstra-se sempre alerta em relação às ações e reações de Lizzie, percebendo que a menina não compreende completamente o que significam os zumbis. Preocupada com o que isso significa para a segurança de Mica, Carol e leva para conversar e elas acabam se deparando com uma pequena casa de fazenda cheia de nozes e uma fonte de água limpa. Logo, o grupo se aloja ali na casa, criando um ambiente quase familiar que parece encantar igualmente Mica e Tyreese.

Mas Carol, mais escolada após a perda de Sophia, logo percebe que o problema de Lizzie é uma crescente quando a menina começa a alimentar zumbis e brincar com eles, colocando a própria vida em risco sem perceber o que isso representa. Essa loucura fica evidente quando Mica tem de impedi-la de entregar-se à transformação por meio de uma mordida. Quando essa brincadeira quase resulta em um horda atacando a casa, Lizzie se une ao resto para acabar com o problema, mas seu peso na consciência deixa até mesmo Tyreese alerta.

hgrtO problema só parece se agravar. Lizzie, disposta a convencer os adultos de que os zumbis são apenas diferentes deles, assassina a pequena Mica, e pede – aos berros e de arma apontada – que Carol aguarde a transformação. Mantendo a calma, Carol convence a menina a baixar a arma e ir para a casa com Tyreese e Judith enquanto ela amarra Mica.

Tyreese conversa com Lizzie e compreende que a loucura da menina é incurável: Sim, ela alimentou os zumbis na prisão. Sim, ela abriu o ratinho para estudá-lo por diversão. Sim, ela acredita que estava ajudando Mica a fazer parte do novo mundo e estava prestes a fazer o mesmo por Judith. Tyreese imediatamente se pergunta: Foi ela quem matou sua namorada? Mas Carol logo nega: Se fosse Lizzie, ela teria permitido que eles se transformassem.

É então que a profundidade do personagem de Carol vem à tona e ela diz em voz alta o que Tyreese não quer nem dizer para si mesmo no escuro: Lizzie não ficou assim por trauma, essa loucura é parte de quem ela é e não há nada que possam fazer para mudar isso. Fugir com Judith não vai ajudar em nada, seria paliativo. Precisam tomar uma atitude permanente, pois Lizzie jamais poderá conviver com outros seres humanos e sua imagem infantil de inocência é uma armadilha para a maioria dos adultos que tentarão salvá-la e protegê-la. Mais uma vez, cabe à Carol fazer o que precisa ser feito.

imagesCarol leva Lizzie para dar um passeio. A menina percebe que Carol tem um peso sobre os ombros e imediatamente assume que ela está chateada por sua atitude em relação à Mica. Lizzie a abraça e implora para que não fique brava, e Carol responde que a ama, pedindo então que ela olhe para um ramo de flores selvagens sobre a grama. Lizzie se vira, tentando controlar o choro e nós vemos o momento em que Carol puxa o gatilho e o quanto isso a destrói por dentro. Carol assume naquele instante a postura que não foi capaz de assumir quando Sophia saiu do celeiro transformada, ela precisou perder a filha de uma forma brutal para conseguir a frieza necessária para assumir esta postura e puxar o gatilho, livrando o mundo da loucura psicótica de Lizzie de uma vez por todas.

ifbdgchbygez3ooa5zmtApós o enterro das meninas, Tyreese e Carol se sentam à mesa da casa e, tomada por suas emoções, Carol confessa à Tyreese sua responsabilidade na morte de Karen, entregando sua arma a ele e permitindo que ele faça o que for necessário com ela para conseguir justiça. Ele engole em seco e, após a garantia de que foi rápido e indolor, ele a perdoa.

Tyreese precisava entender a necessidade de eliminarem os riscos para poder perdoar a morte da namorada. Após concordar com a execução de uma criança pelo bem do grupo, não poderia condenar Carol por fazer o mesmo em prol da segurança de todos na prisão. Eles decidem que não podem continuar ali e, na manhã seguinte, partem novamente na direção dos trilhos em busca de Terminus. Desta vez, apenas a pequena e inofensiva Judith os acompanha.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s