Comemorando nosso primeiro aniversário: O livro/filme mais JUNKIE da nossa geração

trainspotting-rentboyTrainspotting foi um grito de rebeldia para os jovens da década de 90. O livro, lançado em 1993, chegou às telas em 1996 pelas mãos habilidosas do diretor Danny Boyle que traduziu de forma espetacular a eloquente visão do autor Irvine Welsh que divide os capítulos de sua obra de acordo com o narrador de cada passo da história, dando vozes distintas e igualmente viciadas a cada um dos narradores, tornando a narrativa ainda mais psicótica do que o filme seria capaz de demonstrar. Não fosse o bastante levar ao público uma divertida visão do universo destrutivo do grupo de viciados que compões o núcleo central da trama, Danny Boyle ainda selecionou jovens atores que se tornariam grandes estrelas proeminentes no cenário atual da indústria do entretenimento incluindo – além de Ewan McGregor – Jonny Lee Miller (Elementary), Kevin McKidd (Grey’s Anatomy) e Robert Carlyle (Once Upon a Time), a maioria deles ainda na primeira metade de seus vinte e poucos anos quando o filme foi lançado.

Com toda a sua linguagem punk inspirada pelo final da década de 80, Trainspotting se tornou um clássico cult adorado por adolescentes e jovens adultos que passaram a entender a visão proposta de libertinagem e experimentação como um estilo de vida a ser explorado. Trainspotting é a tradução do significado da palavra “JUNKIE” em toda a sua essência.

Eu, que tinha apenas 11 anos quando o filme foi lançado, não o assisti até chegar aos 13-14 e fiquei absolutamente fascinada, especialmente considerando que a personagem feminina mais forte, Diane, tem apenas 15 anos à época da história narrada. Tudo aquilo era tão boêmio e heroin-chic, tão absolutamente incrível, que eu me apaixonei pela história antes mesmo de realmente conseguir compreendê-la. Ano depois, na faculdade, escolhi Trainspotting como tema para análise no meu projeto de Teoria da Comunicação – junto com o Bruno PG, por sinal – e desde então aguardo ansiosamente a sequencia do filme, baseada no segundo livro de Irwing, “Porno”. Danny Boyle já declarou que estava esperando o elenco original envelhecer o bastante para poderem retratar os personagens com exatidão e, no Comic Con do ano passado, foi confirmado o lançamento de “Porno” em 2016. Eu mal posso esperar, principalmente considerando que, como os personagens, eu também envelheci o bastante para analisar as escolher da história original com um olhar mais crítico e consciente de que o glamour das drogas nada mais é do que uma fantasia adolescente de celebração à tudo que é ilegal, imoral ou engorda.

PS: Uma curiosidade pessoal para vocês – aos 18 anos, ganhei dos meus pais uma almofada preto com o cartaz do filme Trainspotting acompanhado do famoso discurso “Choose Life”. Em quase 10 anos, essa almofada quase se desfez pois eu dormia abraçada a ela quase todas as noites, mas só tive coragem de jogá-la fora no dia em que saí da casa deles, alguns meses antes do meu 27º aniversário…

Trainspotting_by_SixSillySisters

Anúncios

One thought on “Comemorando nosso primeiro aniversário: O livro/filme mais JUNKIE da nossa geração

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s