Literatura Pop

Estou de volta. Não por completo, nem aos poucos, mas estou de volta. Pelo menos aqui, para falar de literatura para quem quiser ler algo mal escrito sobre o assunto, enquanto sigo sem escrever nada de ficção, nem revisar o que deveria ter sido revisado antes de Abril deste ano. Então, literatura é o assunto? Vamos começar falando de Robert Galbraith. Sabem que é? E Patrick Süskind?

Patrick Süskind

Patrick Süskind

Robert Galbraith nasceu por acaso, na Inglaterra, este ano (ou talvez ano passado) e já publicou um romance policial chamado “The Cuckoo’s Calling”, aclamado pela crítica local. Digo que nasceu este ano (ou ano passado), porque como todos já sabem, ele não existe, é apenas um pseudônimo da autora inglesa que vende até areia no deserto, J. K. Rolling, conforme revelado pelo tabloide britânico The Sun. Preguiça define meu sentimento pela notícia. Não tenho nada contra a autora, afinal ela é um fenômeno, mas não me interesso por ela, então, vamos falar de outras coisas.

Eu ando procurando variar meu leque de conhecimento e me aprimorar em diversos assuntos. Apenas uma forma de ocupar minha mente e achar novas inspirações. Assim, matriculei-me em um curso profissionalizante de – atenção – massagem com óleos. Tirando toda a parte ruim e toda a parte boa, o interessante é que a primeira aula terminou com uma conversa sobre literatura. O tema central era o livro “Perfume – A história de um assassino”, do autor alemão Patrick Süskind, título que muitos conhecem pelo filme de Tom Tykwer (de “Corra, Lola, Corra”).

O livro, que originalmente foi publicado em folhetins, graças à adaptação cinematográfica, é disparado o título de maior sucesso do retraído Süskind, tendo vendido mais de 15 milhões de exemplares pelo mundo afora e com tradução para 40 línguas (parece muito – e é –, mas lembremos de que existem 6.912 idiomas falados neste planeta), trata da história de Jean-Baptiste Grenouille, um parisiense do século XVIII com o olfato extremamente desenvolvido e que, com isso, cria perfumes únicos.
Assim como a autora pop e famosa citada acima, o alemão também escreveu para seres humanos de menor idade. Mas ao invés de adolescentes, Patrick Süskind publicou seu “A história do senhor Sommer” para crianças, com direito a ilustrações do francês Jean-Jacques Sempé. E ainda mais diferente da colega, os livros de Süskind são alta literatura, como explicita “O contrabaixo”, um monólogo sobre um músico atormentado e isolado, que foi considerado o melhor trabalho da literatura alemã à época.

Em 2006 Patrick Süskind publicou sua obra mais recente, o ensaio “Sobre o Amor e a Morte”, livro que venho arduamente procurando, mas sem sucesso. Por isso, se alguém encontrar este título em algum lugar, fique à vontade para comprar e me presentear.

Então, é isso: fico na espera do presente. Agora, com licença, que preciso trabalhar.

Anúncios

One thought on “Literatura Pop

  1. Sabia que você ia gostar de “O Perfume”! De longe, um dos livros mais incríveis e envolventes que eu já li. Quando alguém te der esse presente, aguardo ansiosamente o empréstimo do livro!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s